Ligar à rede

Ligações provisórias

Este tipo de ligação de caráter temporário destina-se tipicamente a instalações para reparações, trabalhos, ensaios de equipamentos, obras e estaleiros.

Apesar da instalação de utilização ter um caráter provisório, a ligação à rede será estabelecida de acordo com as regras técnicas em vigor, ainda que venha a ser desmontada.

A montagem e desmontagem do ramal de ligação temporária à rede de distribuição de eletricidade é da inteira responsabilidade do requisitante, representado por um empreiteiro habilitado para o efeito.

A ligação de instalações de caráter temporário está condicionada à disponibilidade da rede de distribuição e ao cumprimento das normas legais e regulamentares em vigor, não podendo prejudicar a normal exploração da rede nem constituir perigo para pessoas e bens.
No caso de ser possível, o ramal de ligação à rede poderá executar-se definitivamente, seguindo a mesma tramitação da ligação normal à rede em baixa tensão.

Na rede em média tensão não há ramais de ligações provisórias e os pedidos seguem a tramitação prevista da ligação normal à rede em média tensão, sendo feitos através do gestor de cliente da E-REDES que acompanha a ligação.

Os pedidos do requisitante de uma ligação à rede em baixa tensão são feitos de acordo com as regras previstas atrás para ligação à rede em baixa tensão, através dos canais de atendimento. 

O início do fornecimento de energia elétrica só poderá concretizar-se depois de cumpridas todas as exigências/requisitos e após celebração de um contrato com um comercializador de energia
 

Prestadores de serviços
Obras a Realizar por Entidades Externas na Rede de Distribuição de Eletricidade

Saiba quais as entidades válidas (reconhecidas e/ou qualificadas) para construção de elementos de ligação cuja responsabilidade é do requisitante.

Instalação Provisória
  1. Este tipo de ligação à rede serve para fornecer energia a instalações de carácter temporário e destinando-se tipicamente a instalações para reparações, trabalhos, ensaios de equipamentos, obras e estaleiros e apenas se aplicam a ligações em Baixa Tensão (BT).

    A obrigação da E-REDES para a ligação de instalações provisórias está condicionada à disponibilidade da rede de distribuição e ao cumprimento das normas legais e regulamentares em vigor, não podendo prejudicar a normal exploração da rede nem constituir perigo para pessoas e bens.

    • Cartão de Contribuinte (NIF ou NIPC) e cartão de cidadão ou Passaporte;
    • Licença Municipal de Construção ou declaração subscrita pelo proprietário ou técnico responsável, em como a obra não está sujeita a licenciamento camarário; 
    • Ficha Eletrotécnica com a potência requisitada à rede, assinada pelo técnico responsável;
    • Coordenadas geográficas do ponto de receção de energia ou planta de localização à escala adequada;
    • Declaração de conformidade da execução ou termo de responsabilidade pela execução de instalações elétricas, nos termos do DL 96/2017, independentemente do valor da potência requisitada.

    O Termo de responsabilidade a utilizar para efeitos de realização da obra está definido no Despacho 28/2018 da D.G.E.G (Direção Geral de Energia e Geologia) de 15 de maio.

     

    Caso a potência requisitada seja superior a 41,4kVA, será também necessário:

    • Termo de responsabilidade pela exploração nos termos da alínea f) do ponto 1 do Artigo 15.º do Dec. Lei 96/2017;
    • Pedido prévio de condições técnicas de ligação à rede, que deverá ser solicitado à Área de Rede e Clientes da E-REDES respetiva, conforme informação disponível em www.e-redes.pt, na área profissionais, instalações tipo C.

     

    A montagem e desmontagem do ramal de ligação temporária à rede é da inteira responsabilidade do requisitante, através de empreiteiro habilitado para o efeito.

  2. As ligações de uma instalação provisória à rede pagam apenas os serviços de ligação, Tabela de custo